Pesqueiros e Pousadas

Passo do Lontra Parque Hotel

O Passo do Lontra Parque Hotel está localizado na Estrada Parque, a dez quilômetros do Buraco das Piranhas, no Passo do Lontra, às margens do rio Miranda. Possuí uma ampla área de aproximadamente cem mil metros e localização privilegiada no pantanal sul-mato-grossense, em perfeita harmonia com este paraíso ecológico proporciona momentos únicos e inesquecíveis. Montado sobre palafitas de madeira, oferece uma completa estrutura de hospedagem que dispõe de quatro Apart Hotel, quatro apartamentos e dezoito chalés com deck, antessala (mesa, banquetas, frigobar), cama de casal, beliches, cama de solteiro, ar-condicionado, telefone, TV (Parabólica), armário e banheiro privativo (chuveiro elétrico, box-blindex). Uma das características marcantes é o atendimento familiar, onde os proprietários estão presentes e atuam diretamente em conjunto com a equipe de profissionais (treinados e capacitados), no atendimento aos visitantes e na conservação do meio ambiente e da cultura pantaneira. Além da pescaria, sugerimos um dia para visitar a fazenda São João, de propriedade da família Venturini, que oferece passeios a cavalo e safari ecológico. A focagem noturna para observação de jacarés e da rica fauna e flora pantaneira e os passeios pelas passarelas de madeira, com mais de dois quilômetros, completarão sua aventura de pesca pelo pantanal, que pode até mesmo ser coroada com a avistagem da onça pintada, pois o felino costuma aparecer nas margens do rio Miranda.

Pantanal do Mato Grosso do Sul
O pantanal é a maior planície alagável do mundo, com 250 mil quilômetros quadrados de extensão, 83% localizados nos estados do Mato Grosso e Mato Grosso do Sul, 15% na Bolívia e uma pequena parte no Paraguai, com nome de Chaco. Considerado pela UNESCO como Patrimônio Natural Mundial e Reserva da Biosfera o pantanal tem a fauna mais rica do planeta. Há 650 espécies de aves, 1.100 espécies de borboletas, 80 espécies de mamíferos e 263 espécies de peixes catalogadas. O declive médio de apenas 5 centímetros por quilômetro é o principal responsável pela inundação na época das cheias.
O rio Paraguai e seus afluentes serpenteiam o Pantanal, formando extensas áreas inundadas que servem de abrigo para muitas espécies de peixes esportivos como o pintado, o dourado e o pacu. Muitos animais, como os jacarés, as capivaras, o cervo-do-pantanal e ariranhas ameaçados de extinção em outras partes do Brasil ainda possuem populações vigorosas na região pantaneira. A ave símbolo do pantanal, o tuiuiú, chega a alcançar um metro e meio de uma ponta da asa a outra. Um bioma constituído por uma savana estépica, o pantanal é uma planície pluvial influenciada por rios que drenam a bacia do Alto Paraguai, onde se desenvolve uma fauna e flora de rara beleza e abundância, influenciada por quatro grandes biomas: Amazônia, Cerrado, Chaco e Mata Atlântica. O imenso pantanal pode ser dividido em, pelo menos, onze pantanais distintos, cada um com caraterísticas próprias e ligados pelos pulsos das águas. Os mais importantes para a pesca esportiva no estado do Mato Grosso do Sul são: O Paraguai, Miranda e Porto Murtinho.

Pantanal de Miranda
Influenciado pelo ciclo das águas do rio Miranda a região fica em meio aos pantanais do Abobral, de Aquidauana, do Nabileque e de Porto Murtinho. O rio Miranda nasce na região de Bonito e desagua no rio Paraguai quase em frente ao distrito de Albuquerque. Tendo como seus principais afluentes os rio Aquidauana, Touro Morto e Vermelho, o rio Miranda é um dos mais piscosos do pantanal.

Pesca
A pescaria é realizada em barcos de alumínio, com cadeiras com encostos e assentos acolchoados, motores 25hp, coletes salva vidas, caixa térmica e guias treinados.

Agende sua pescaria com a Personal Pesca, a agência parceira do programa Bom de Pesca.
www.personalpesca.com.br

Pousadas Asa Branca I e II

As Pousadas Asa Branca I e II estão localizadas nos Rio Araguaia e Javaés (braço do rio Araguaia em torno da ilha do Bananal). A pousada Asa Branca I dispõe de 17 apartamentos e a Asa Branca II dispõe de 10 apartamentos, para até 4 pescadores cada, com água quente, ar condicionado, armário e tomada elétrica (220v). Estrutura confortável e aconchegante para um merecido descanso após o longo dia de pescaria. A cozinha da pousada oferece a gastronomia típica da região, comida saborosa e feita com muito zelo pela equipe.
Alimentação completa com café da manhã, almoço e jantar, incluindo bebidas: água, refrigerante e cerveja (na pousada e barco). O café da manhã é servido das 06h às 08h, almoço das 12h às 14h e jantar das 19h às 21 horas.

Localização
As pousadas estão localizadas a 600 quilômetros de Brasília, no município de São Miguel do Araguaia/GO. Ao chegar em São Miguel do Araguaia, orientar-se para o Porto Fio Velasco, às margens do Rio Araguaia e próximo à barra do Rio Javaés (braço do Araguaia formador da ilha do Bananal).
– Via Luiz Alves com 45Km de estrada pavimentada de excelente qualidade e aproximadamente 50km de estrada sem pavimentação com boa conservação.
– Via Rio Verde com saída pelo Frigorifico de São Miguel do Araguaia e percurso aproximado de 75km de estrada sem pavimentação com boa conservação durante o período seco do ano.

Rio Araguaia
O rio Araguaia, rio das araras mansas, no dialeto indígena Tupi, faz parte da bacia hidrográfica Araguaia-Tocantins, uma das principais bacias hidrográficas do centro-oeste. Com uma extensão total de 2.114 quilômetros, banha os estados de Goiás, Mato Grosso, Tocantins e Pará. As nascentes do rio se encontram na Serra do Caiapó, próximo ao Parque Nacional das Emas, no município de Mineiros, em Goiás, nos altiplanos que dividem os estados de Goiás e Mato Grosso. Em seu percurso, juntamente como os do rio Javaés (um braço do rio Araguaia), localiza-se a maior ilha fluvial do mundo, a Ilha do Bananal, onde estão localizados o Parque Nacional do Araguaia e o Parque Indígena do Araguaia. O Rio Araguaia já foi considerado um dos mais piscosos do mundo, título ameaçado pelo modelo de turismo existentes no Araguaia em destaque a pesca predatória e o abandono de resíduos sólidos provenientes das práticas de camping; assim como pela poluição gerada por agroquímicos e pelo barramento de suas águas através da construção da Usina Hidrelétrica de Tucuruí, que não possui mecanismos necessários para a subida natural de peixes nos período de desova, contribuindo para o declínio das populações da ictiodiversidade do Araguaia. O estado de Goiás, no ano de 2012, aprovou um projeto de lei denominado “Cota Zero” que prevê tolerância zero para o transporte de pescado nos cursos d’água goianos que estiverem restritos à pesca esportiva, uma boa iniciativa para a reposição do estoque pesqueiro. Durante a seca, nos meses de junho e agosto, formam-se, no leito do Araguaia, ilhas de areia que são utilizadas como área de camping por milhares de turistas de várias partes do país para curtir o espetáculo da natureza que inclui o belíssimo pôr do sol, os botos saindo para respirar, gaivotas, mergulhões, jacarés. Durante a piracema – período entre os meses de novembro a março, em que é proibida a pesca de qualquer espécie, o espetáculo fica por conta dos cardumes de peixes subindo o rio.

Pesca
A pesca é realizada em barcos de alumínio, equipados com motores de 25HP, caixa térmica para acomodação das bebidas e viveiro para acomodação das iscas vivas, guias experientes e conhecedores da região e uma estrutura completa e segura para a pescaria.

Agende sua pescaria com a Personal Pesca, a agência parceira do programa Bom de Pesca.
www.personalpesca.com.br